Dia de Zumbi é 20 de novembro, e não tem discussão

Coordenadora de Mulheres do Fonsanpotma, Ya Vera Soares (de branco) comemora com aliados a vitória dos povos tradicionais de matriz africana e movimentos sociais de Porto Alegre na Câmara de Vereadores
Porto Alegre — Os militantes de Porto Alegre, autores
de propostas inovadoras e impactantes, mais uma vez demonstram sua
força e fizeram história. Pressionaram e levaram a Câmara de
Vereadores, hoje (23/11) a recuar da decisão de transferir o Dia da Consciência
Negra, comemorado em 20 de novembro, para ot terceiro domingo de
novembro. O Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional dos
Povos Tradicionais de Matriz Africana (Fonsanpotma), representado
pelo coordenador de Articulação Política, tata Edson, e pela
coordenadora de Mulheres, Ya Vera Soares, articulou as organizações
do estado na luta contra a ignóbil proposta. Mais: o Fórum movimentou a
Frente Municipal de Parlamentares em Defesa dos Povos Tradicionais de
Matriz Africana para unir forças em defesa da reivindicação dos negros porto-alegrenses..
A união das ações levou os vereadores aprovar o
feriado de 20 de novembro, derrubando a proposição anterior, que
demonstrava a falta de reconhecimento do crime de escravidão,
praticado contra homens e mulheres negros sequestrados no continente
africano e trazidos ao Brasil como mercadorias, e onde foram, por
mais de 300 anos escravizados e torturados. Hoje, o país integra a
lista das nações que cometeram crime de lesa-humanidade, pelo
regime escravocrata vigente entre os séculos 16 e 19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.